As Maiores Batalhas e Guerras da História - Zulus

 

As Maiores Batalhas e Guerras da História

A Guerra Zulu

(1879)

Tropas britânicas resistem a um brutal ataque Zulu na África do Sul.
 
Facções: Império Britânico (PM Earl de Beaconsfield) x Reino Zulu (Rei Cetshwayo kaMpande).
 
Forças: Britânicos: 41.000 soldados, 27 canhões, 3 Metralhadoras Gatling e um Lança-Foguetes x Zulus: 35.000 guerreiros.
 
Perdas: Britânicos: 2.158 mortos e feridos x Zulus: 6.930 mortos e feridos.
 
Resultado: Vitória Britânica; Anexação inglesa do Reino Zulu.
 
Local: África do Sul.
 
Área Verde (Reino Zulu); Seta Azul Escuro (Primeira Invasão Inglesa); Seta Verde (Contra-ataque Zulu); Cruz Verde (Vitória Zulu); Seta Cinza (Segunda Invasão Inglesa); Cruz Cinza (Vitória Inglesa).
 
A Guerra: Em 1879, o exército britânico era a força militar mais formidável do mundo. Porém, na África do Sul, os britânicos enfrentariam os mais corajosos e poderosos adversários de toda a sua história: os Zulus.
 
O Reino Zulu surgiu em 1816 e foi fundado pelo rei Shaka. O rei modificou seu exército: os guerreiros não mais lançavam dardos, mas sim usavam lanças e longos escudos de couro para combate. Os Zulus tentaram expandir seu reino para o interior, mas foram derrotados pelos bôeres, colonos descendentes dos holandeses, na Batalha do Rio de Sangue em 1838. Depois desse fracasso, os Zulus retornaram para seu reino e ficariam em paz por mais de 40 anos até a chegada dos britânicos. Em 1877, os ingleses chegaram e anexaram a região Transvaal dos bôeres. Mas, acabaram virando o mais novo "problema" dos Zulus.
 
Arrogantes e acreditando que os Zulus eram como qualquer outra tribo que já enfrentaram na África, os ingleses ordenaram que o Reino Zulu fosse imediatamente anexado ao Império Britânico. O rei zulu da época, Cetewayo, ignorou a ordem dos ingleses e mobilizou seu exército. Como retaliação pela desobediência, os ingleses invadiram o Reino Zulu com 3.000 homens em 1879. Assim começava a guerra.
 
A primeira batalha ocorreu em Isandlwana, onde os zulus cercaram uma das três colunas britânicas que haviam invadido seu reino. A batalha foi brutal, mas no fim do dia, os zulus dizimaram a coluna inteira e avançaram contra as outras duas colunas.
 
Durante o avanço dos zulus, estes se depararam contra um posto avançado britânico na fronteira e decidiram destruí-lo para cortar as linhas de suprimentos dos ingleses. A base britânica acabou destruída, mas a ousada resistência da guarnição mostrou aos zulus que os britânicos eram guerreiros corajosos. Recebendo horríveis notícias da guerra contra os zulus, o Império Britânico despachou mais tropas para esmagar essa temível tribo. Entre esses soldados estava Luis J. J. Bonaparte, filho de Napoleão III, que acabou morto por uma lança zulu quando sua tropa foi emboscada na fronteira. A situação parecia críttica para os ingleses.
 
As duas colunas britânicas chegaram perto da capital do Reino Zulu, mas acabaram sendo derrotadas nas batalhas de Esghowe e Kambula, forçando os sobreviventes a recuarem para o seu território. Algumas semanas depois, os ingleses invadiram de novo o Reino Zulu e obtiveram uma decisiva vitória na batalha de Ulandi. Durante a sangrenta batalha, o rei Cetewayo conseguiu escapar, mas acabou sendo capturado por uma patrulha britânica dias depois. Todo o exército zulu foi destruído em Ulandi. Não tendo escolha, Cetewayo assinou um acordo de paz e em 1887, os ingleses anexaram o Reino Zulu ao seu império africano.
 

Curiosidades:

  • Há somente dois filmes sobre a Guerra Zulu: Zulu (1964) e Zulu Dawn (1979) ambas focadas nas principais batalhas onde os britânicos sofreram suas maiores derrotas.
 
  • Essa foi a primeira vez que uma tribo africana desafiava por igual um país europeu. Alguns anos depois, a Itália invadiria a Etiópia e seria humilhada pelo reino etíope que se inspirou nos zulus sobre resistir contra o colonizador europeu.
 
  • Os zulus também usaram armas de fogo contra os ingleses, mas só os membros da guarda real é que realmente usavam tal armamento.
 

Bibliografia: