As Maiores Guerras e Batalhas da História - Áustria

 

As Maiores Guerras e Batalhas da História

A Guerra Austro-Prussiana

(1866)

Forças prussianas avançam pelo norte do Império Austríaco.
 
Facções: Império Prussiano (Kaiser Guilherme I) e Reino Italiano (Victor Emmanuel II) x Império Austríaco (Imperador Franz Joseph I).

Forças: 637.262 soldados prussianos e italianos x 517.123 soldados austríacos.

Perdas: Prussianos e Italianos: 39.990 mortos e feridos x Austríacos: 132.414 mortos e feridos.

Resultado: Vitória Prussiana-Italiana; Prússia anexa todas as províncias do norte Austríaco; Itália anexa Veneza da Áustria; Formação da Confederação Alemã; Formação do Império Austro-Húngaro.

Local: Alemanha, Áustria, Itália e Mar Adriático.

Área Vermelha (Império Austríaco); Setas Marrons (Invasão Prussiana); Seta Verde (Invasão Italiana).
 
A Guerra: Em 1866, a Alemanha continuava dividida entre Áustria e Prússia. A questão era: quem dominaria a Europa Central?
 
Desde a derrota de Napoleão I em 1815, a Áustria tinha total influência política nos pequenos reinos alemães. Liderados pelo primeiro-ministro Klemmens von Metternich, espiões austríacos se infiltravam nesses reinos e começavam a espalhar ideias mais liberais e nacionalistas, algo que Napoleão tentou fazer anos atrás.
 
Em 1862, Otto von Bismarck se tornou chanceler do Império Prussiano. Em 29 de setembro, Bismarck fez um discurso que entrou para a História: "A grande questão do momento não será resolvida com discursos e decisões da maioria... mas com ferro e sangue." A grande questão no momento era a unificação definitiva da Alemanha e quem a controlaria: Áustria ou Prússia.
 
Bismarck primeiramente convenceu o kaiser Guilherme I da Prússia a aumentar o exército. O chanceler estudou as táticas usadas na Guerra da Criméia e concluiu que planejamento, transporte e comunicação eram as táticas necessárias para vencer qualquer guerra do século XIX. Foi responsável em criar o primeiro Estado-Maior da História. Essa organização militar era formada pelos melhores generais e oficiais capazes de liderar diversas campanhas ao mesmo tempo e com grande eficiência militar. Bismarck também estendeu as estradas de ferro e as linhas telegráficas, conectando Berlim com todas as bases militares da Prússia.
 
Seguindo as direções de Bismarck, tropas prussianas entraram e ocuparam, sem luta, o ducado de Holstein, controlado pela Áustria a mais de 2 anos. Caindo na armadilha prussiana, os Habsburgos, declararam guerra contra a Prússia e acreditavam que iriam facilmente vencer os seus rivais sem perceber que estes evoluíram suas formas de combate para um novo patamar. Seria um desastre para a Áustria.
 
A guerra durou só sete semanas e seu clímax foi na Batalha de Sadowa em 3 de julho de 1866. De início os austríacos haviam rompido as linhas prussianas e se aproximavam do comando de Bismarck, que pensou em se matar, mas com a chegada de novos reforços, os prussianos viraram a luta a seu favor e aniquilaram o exército austríaco na batalha. Em 23 de agosto, a Áustria assinava um acordo de paz com a Prússia (Tratado de Praga) e entregava todos os seus territórios do norte para a Prússia, chamada agora de Confederação Alemã. Também entregava a região de Veneza para os italianos, quando estes invadiram o local durante a guerra. A única vitória para a Áustria foi a anexação do Reino da Hungria, transformando o Império Austríaco no famoso Império Austro-Húngaro.
 
Com a Áustria fora do caminho e a Alemanha começando a se unificar, Bismarck então, mirou para seu próximo alvo: a França de Napoleão III.
 
Não há curiosidades.
 

Bibliografia: