As Maiores Batalhas e Guerras da História - Unificação Italiana

 

As Maiores Batalhas e Guerras da História

A Guerra da Unificação Italiana

(1859-1860)

Napoleão III observando o exército francês no norte da Itália.
 
Facções: Império Francês (Napoleão III) com apoio da Sardenha e dos Estados Centrais Italianos x Império Austríaco (Franz Josef I).
 
Forças: França e Aliados: 246.000 soldados e 400 canhões x Áustria: 242.000 soldados e 820 canhões.
 
Perdas: Desconhecidas.
 
Resultado: Vitória Franco-Italiana; Armistício de Villafranca; Unificação Definitiva da Itália.
 
Local: Norte da Itália.
 
Área Vermelha (Império Austríaco); Setas Vermelhas (Invasão Austríaca); Linha Laranja (Avanço Máximo Austríaco); Setas Azuis (Contra-Ataques Franceses); Setas Verdes (Contra-Ataques Italianos).
 

A Guerra: A Itália continuava dividida por dezenas de estados independentes desde a queda do Império Romano. Em 1848, os estados mais poderosos da Itália eram o Reino da Sardenha, o Ducado de Milão, os Estados Papais e o Reino das Duas Sicílias. A ideia de uma unificação total da Itália surgiu no norte do país graças ao Conde de Cavour e por Giuseppe Garibaldi, veterano da Farroupilha.

Cavour, primeiro-ministro da Sardenha, junto com Napoleão III,  conspiraram para acabar com a influência austríaca no norte da Itália. Fizeram isso com uma campanha militar em 1858. Mesmo tendo o apoio pesado da artilharia francesa, os sardenhos sofreram grandes baixas até a expulsão dos austríacos do norte italiano. Com a derrota austríaca, Cavour convenceu o rei Victor Emmanuel da Sardenha a iniciar a unificação da Itália.

O maior sonho de Cavour era de modernizar e industrializar a Itália. Outro grande defensor da unificação italiana era Giuseppe Garibaldi, veterano da Farroupilha que voltou da América para ajudar na unificação de seu país natal e também porque adorava aventuras militares. Em 1859, Garibaldi desembarcou na Sicília, junto com seu exército de milicianos, conhecidos como os Camisas Vermelhas, para se juntar na luta pela unificação da Itália.

O exército de Garibaldi (1000 homens) estava mal armado e preparado para a guerra, mas tinham um espírito de aventura que impedia que esses homens e mulheres desistissem de uma luta épica. Na Sicília, os Camisas Vermelhas ganharam a confiança da população local e derrotaram um exército de 25.000 homens do governo napolitano. Garibaldi atravessou o Estreito de Messina e rapidamente avançou para o norte onde encontrou Cavour e o rei Victor Emmanuel que esperavam sua chegada para a luta contra os austríacos que haviam invadido o norte da Itália.
 
Garibaldi se juntou ao exército sardenho e avançou para o norte. Depois de algumas batalhas pesadas e sangrentas, os italianos e franceses expulsaram os austríacos do norte da Itália em 1860. Nesse ano, toda a Itália se unificou e formou um governo próprio com Victor Emmanuel no poder. Já Garibaldi desapareceu do resto da História e existem poucas informações que explicam o que aconteceu com ele após a unificação italiana.
 
Não há curiosidades.
 

Bibliografia: