As Maiores Batalhas e Guerras da História - Índios Americanos

 

As Maiores Batalhas e Guerras da História

As Guerras dos Índios Americanos

(1860-1890)

Cavalaria americana enfrentando os poderosos cherokees no Oeste Americano.
 
Facções: Índios Americanos x EUA.
 
Forças: Desconhecidas.
 
Perdas: Desconhecidas.
 
Resultado: Soberania Indígena no Oeste Americano é perdida; Nenhum acordo é estabelecido; Dezenas de Reservas Indígenas são estabelecidas nos EUA e no Canadá.
 
Local: Oeste Americano e Canadá
 
Área Verde (Territórios Indígenas); Setas Azuis (Primeiros Avanços Americanos); Setas Verdes (Contra-Ataques Indígenas); Setas Azuis Claras (Últimos Avanços Americanos).
 
A Guerra: Em 1860, pioneiros e colonizadores americanos chegavam nas margens das Grandes Planícies. Nos estados que faziam parte dessa enorme planície, havia centenas de tribos locais que só queriam viver em paz e em harmonia. Esses indígenas aproveitavam a terra em que viviam e eram excelentes guerreiros que cavalgavam cavalos selvagens.

Mal os colonizadores adentraram as Grandes Planícies, as tribos locais já entravam em conflito com os novos invasores. A primeira guerra foi contra os Apaches e Navajos, de 1860-1865. Porém, de 1862-1864, os Sioux iniciariam uma segunda guerra contra os colonizadores no estado de Minnesota. Em 1864, os cheyennes também entrariam no conflito, ao lado dos Apaches e lutariam contra os colonos até 1868. Com o passar dos anos, mais tribos se juntariam na luta contra os invasores brancos, do Colorado ao Texas. Em 1865, 3000 soldados americanos foram despachados e aniquilariam a tribo arapaho inteira. Após esse massacre, as outras tribos ficariam quietas com o avanço americano. Mas, a paz duraria muito pouco.

Quando os índios se mostraram hostis aos colonos, o governo americano despachou suas tropas para esmagar qualquer resistência indígena. De 1866 até 1875, tropas americanas dizimavam tribos inteiras em duas brutais guerras: a da Nuvem Vermelha e do Rio Vermelho. No norte do Texas, o general William Tecumseh Sherman travou 14 batalhas contra os indígenas de 1874 até 1875 e forçou os comanches a se render para o governo americano. Toda a região sul das Grandes Planícies estava sobre controle americano e quase não havia mais índios nessa parte dos EUA.

Em 1876, os colonos americanos encontravam ouro nas montanhas da Dakota do Sul e entravam em conflito com os Sioux. Mesmo com o apoio da cavalaria americana, os colonos enfrentavam uma fanática defesa Sioux. Em 1877, os sioux obtiveram a maior vitória contra o exército americano em Little Big Horn. A vitória causou a morte de um general americano, George Custer, e de mais 500 homens. Porém, o governo americano rapidamente retaliou e forçou o líder sioux Cavalo Maluco a se render. Porém, o segundo líder sioux, conhecido como Touro Sentado, escapou com sucesso para o Canadá.

Em 1877, os nativos americanos novamente entravam em conflito com os colonos em Nez Pearce. O líder indígena, Joseph, decidiu abandonar a luta contra os americanos e iniciou uma marcha de mais de 2400 km até o Canadá. Porém, a cavalaria americana conseguiria bloquear a retirada da tribo indígena e força-la a se render ainda no mesmo ano.

Em 1890, ocorreu o último conflito entre americanos e indígenas. Os sioux começavam a fazer ataques violentos contra as cidades mineradoras e usavam seus prisioneiros para sacrifícios brutais. O governo americano enviou a Sétima Cavalaria que dizimou boa parte dos sioux na Dakota do Sul em Wounded Knee no final do ano e finalizou anos de violentas guerras pelo oeste americano.
 
Não há curiosidades.
 

Bibliografia: