As Maiores Batalhas e Guerras da História - Criméia

 

As Maiores Batalhas e Guerras da História

A Guerra da Criméia

(1853-1856)

Tropas russas defendendo o porto de Sebastopol.
 
Facções: Império Otomano (Abdulmejid I) com apoio da França, Inglaterra e Sardínia x Império Russo (Nicolau I) com apoio da Grécia.
 
Forças: Otomanos e aliados: 603.130 homens x Russos e Gregos: 375.470 homens.
 
Perdas: Otomanos e aliados: 223.510 mortos e feridos x Russos e Gregos: 73.125 mortos e feridos.
 
Resultado: Vitória Otomana; É assinado o Tratado de Paris.
 
Local: Península da Criméia.
Setas Vermelhas (Invasão Otomana); Setas Verdes (Invasão Anglo-Francesa); Áreas Azuis (Fortalezas Russas); Setas Azuis (Contra-ataques Russos ou Gregos); Cruzes Verdes (Vitórias Navais Inglesas); Cruzes Azuis (Vitórias Navais Russas).
 
A Guerra: Em 1853 uma nova guerra afetaria a política européia. O czar Nicolau I criou uma desculpa que precisava proteger os cristãos ortodoxos que viviam no Império Otomano e que estavam sofrendo brutais perseguições religiosas. Os otomanos não deram nenhuma atenção sobre as acusações. Se sentido ignorado por toda a Europa, a Rússia invadiu as províncias otomanas da Moldávia e da Wallachia, sem declarar guerra ao seu adversário.
 

Os otomanos declararam guerra após a invasão russa, mas demoraram muito para reagir. Os russos não perderam tempo e despacharam toda a frota russa do Mar Negro para destruir a frota otomana estacionada em Sinop. Em 30 de novembro de 1853, a frota russa destruiu a frota otomana em Sinop e obteve poder naval total no Mar Negro. Parecia que "o velho doente da Europa", apelido dado ao já decadente Império Otomano, estava prestes a ceder novos territórios para a Rússia e se desintegrar por completo.

Inglaterra e França estavam assustadas com as novas expansões russas e imediatamente despacharam uma frota para o Mar Negro com o objetivo de forçar a frota russa a recuar para seu porto e bloquea-lo. Vendo que a Rússia não sentiu ameaçada pela intervenção anglo-francesa, a Rainha Vitória e o Imperador Napoleão III declararam guerra à Rússia. A Rússia esperava receber ajuda da Áustria ou da Prússia, mas nenhuma delas apoiou a causa russa e ficaram neutras. O único aliado para a Rússia foi a Grécia que queria se vingar dos otomanos após a sua independência anos antes.

Em setembro de 1854, uma enorme força aliada formada por ingleses, franceses, otomanos e sardenhos desembarcou e invadiu a Criméia, no sul da Rússia. A força aliada cercou a base naval de Sebastopol por um ano até a sua rendição incondicional. Durante o cerco, várias batalhas aconteceram por toda a península. A mais famosa foi a Batalha de Balaclava, onde a cavalaria ligeira inglesa lançou uma carga suicida contra a artilharia russa e foi dizimada, mas ajudou a infantaria francesa a tomar o forte russo com poucas baixas. Os russos tentaram despachar suprimentos e reforços, mas o sistema de transporte dos russos era obsoleto: carroças puxadas por bois.

Em 8 de setembro de 1855, os russos evacuaram Sebastopol e destruíram o porto e o depósito de munição. Em 1856, o Congresso de Paris estabeleceu os termos da paz: o Império Otomano manteria sua integridade territorial, a Rússia não poderia mais interferir nas vidas dos ortodoxos que viviam no Império Otomano e a Moldávia e a Wallachia ganhariam sua independências dos otomanos e criariam seus próprios governos.
 
Mesmo a guerra sendo terrível, ela trouxe grandes avanços tecnológicos. Câmeras de jornalismo, o telégrafo e os primeiros navios com casco de aço. Um enfermeira britânica chamada Florence Nightgale ficou tão chocada com as condições hospitalares do conflito que acabaria ajudando a evoluir a medicina anos depois.
 

Curiosidades:

  •  O filme de 1936, "A Carga da Brigada Ligeira", se passa durante a guerra e se foca na ação ousada da cavalaria britânica contra as fortificações russas durante a Batalha de Balaclava, que seria um ponto de virada para os aliados durante o cerco de Sebastopol.
 
  • A música "The Trooper" do Iron Maiden é inspirada na vida de um soldado britânico durante um ataque de baionetas no cerco de Sebastopol.
 
  • O último veterano da Guerra da Criméia morreu em 2004! Seu nome era Timothy, a Tartaruga. Ela foi a mascote de um dos navios britânicos que partcipou do cerco de Sebastopol. Timothy também serviria durante as duas grandes guerras mundiais. Ela morreu aos 160 anos e se tornou a tartaruga mais velha da história até 2008, quando foi superada por outra tartaruga, Jonathan, que está viva até hoje.

Bibliografia: