As Maiores Batalhas e Guerras da História - Ópio I

 

As Maiores Batalhas e Guerras da História

A Primeira Guerra do Ópio

(1839-1842)

Navios ingleses destroem a frota chinesa durante o conflito.
 
Facções: Império Britânico (Lorde Palmerston) x Dinastia Qing (Imperador Daoguang).

Forças: Britânicos: 19.000 soldados e 37 navios de guerra x Chineses: 200.000 Guerreiros Manchu.

Perdas: Britânicos: 840 mortos e feridos x Chineses: 20.000 mortos e feridos.

Resultado: Vitória Britânica; Ilha de Hong Kong ocupada pelos Britânicos; Tratado de Nanking.

Local: Todo o litoral da China.


Setas Azuis (Ataques Britânicos); Linhas Vermelhas (Defesas Chinesas); Área Azul (Conquista Britânica); Seta Vermelha (Contra-Ataque Chinês).
 
A Guerra: A guerra entre Inglaterra e China aconteceu por causa do ópio, dos direitos comerciais dos povos europeus na Ásia e a abertura dos portos chineses para o ocidente. O ópio era usado tanto para a medicina quanto para narcóticos. A Inglaterra produzia ópio na Índia e Indonésia. Comerciantes ingleses se tornaram ricos com a fácil venda da droga nas cidades litorâneas da China. Com esse novo mercado se abrindo, os chineses começaram a contrabandear o ópio e a produzi-lo com mais rapidez e vende-lo com um preço menor comparado ao dos ingleses.
 
A Dinastia Qing, de origem manchu, dominava a china desde 1644 e estava com muito medo de perder seu poder no povo com o contrabando ilegal de ópio vindo dos ingleses. O governo imediatamente ordenou o fechamento dos portos e a destruição total das plantações de ópio na China. O ato mais violento de tal ordem foi quando agentes imperiais ordenaram aos comerciantes estrangeiros que moravam na cidade portuária de Cantão, que abrissem seus galpões cheios de ópio contrabandeado e estes acabaram jogados no mar. O prejuízo foi total e vários comerciantes ocidentais abandonaram o comércio chinês. O resultado de tal ação foi visto como algo positivo para o governo imperial, que já comemorava a derrota do ópio em seu território. Porém, a Inglaterra revidaria em breve.
 
Vendo as ameaças que o governo chinês fazia contra seus mercadores, a Inglaterra despachou uma poderosa frota para deter esses ataques chineses contra o comércio de ópio. Quando a frota alcançou a China, ela imediatamente bloqueou os principais portos chineses e começou a confiscar navios chineses que iam para a Índia. Em maio de 1841, uma tropa britânica desembarcou e capturou Cantão, pegando de surpresa o governo chinês. Dias depois, os britânicos ocuparam Amoy e Ningpo. Porém, o clima local e doenças como a malária deteram esses ataques britânicos e deram tempo para os chineses organizarem novas defesas em outros portos.
 
Em 1842, novas tropas britânicas chegaram e capturaram Xangai e Xinjiang. A marinha britânica avançou e bloqueou a boca do imenso rio Yangtse, prejudicando o comércio de grãos da região. Em 29 de agosto, o imperador manchu pediu um acordo de paz com os britânicos e estes assinaram o Tratado de Nanking.
 
De acordo com o tratado, a China seria obrigada a abrir cinco de seus portos para os ingleses. Os ingleses também anexariam a cidade de Hong Kong ao seu império, qualquer assunto diplomático chinês no futuro deveria ser tratado com igualdade e a China deveria pagar uma multa de 20 milhões de dólares pela destruição do ópio e por ter causado a guerra.
 
Em 1844, o Tratado de Nanking teve que incluir a entrada de franceses e americanos nos portos chineses. A Dinastia Qing perdeu prestígio diante de seu povo e ainda o título de a maior e mais poderosa potência militar do mundo caiu diante das armas avançadas dos ocidentais.
 

Curiosidades:

  • O filme chinês "A Guerra do Ópio" (1997), mostra com total perfeição todos os eventos do conflito entre China e Inglaterra e os diferentes pontos de vista de cada lado. Muito bom mesmo. Recomendável.
 

Bibliografia: