As Maiores Batalhas e Guerras da História - Cisplatina

 

As Maiores Batalhas e Guerras da História

A Guerra da Cisplatina

(1825-1828)

Tropas brasileiras marcham para a Cisplatina
 
Facções: Argentina e Uruguai (Juan Antonio Lavalleja) x Império do Brasil (Dom Pedro I).

Forças: Desconhecidas.

Perdas: Desconhecidas.

Resultado: Cisplatina se separa do Brasil e se transforma no Uruguai; Brasil reconhece a independência uruguaia; Brasil ocupa as Missões Orientais da Argentina.

Local: Cisplatina e Rio Grande do Sul.

Setas Vermelhas (Invasão Argentina da Cisplatina); Setas Laranjas (Invasão Argentina do Rio Grande do Sul); Setas Azuis (Contra-ataques brasileiros); Cruzes Pretas (Batalhas).
 
A Guerra: Em 1821, o Brasil invadiu a Bacia Oriental do Uruguai e a transformou na Província da Cisplatina. O local era de grande importância estratégica, pois controlava a rota comercial marítima da Boca do Rio da Prata. A população local não aceitava a ocupação brasileira e já planejava iniciar uma revolta. Recebendo apoio da Argentina, os uruguaios pegaram em armas e iniciaram a revolta contra os brasileiros.
 
Em 1825, tropas argentinas desembarcaram no sul da Cisplatina e marcharam para Montevidéu, capital da província. Quando os argentinos entraram na capital, eles foram recebidos pelo general uruguaio Frutuoso Rivera e este proclamou a independência da província.
 
Quando soube da revolta e da invasão argentina, o imperador Dom Pedro I despachou uma frota para bloquear a Boca do Rio da Prata. Como represália, a Argentina invadiu o Rio Grande do Sul. Com essa invasão em andamento, o governo imperial teve que desviar várias tropas e equipamentos que estavam esmagando várias revoltas internas pelo país para se focar na questão da Cisplatina. Porém, o exército brasileiro se encontrava em péssimo estado para entrar numa guerra externa. O governo imperial não tinha muito dinheiro para financiar uma guerra fora de seu território. Não existia transporte para as tropas ou artilharia e a cavalaria só possuía cavalos muito jovens ou doentes.
 
Mesmo com esses vários problemas, Dom Pedro I queria entrar na guerra e derrotar a Argentina. Para poder fazer isso, o imperador contratou milhares de mercenários europeus, com o pouco dinheiro público que ainda restava e os mandou para, expulsar a Argentina do Rio Grande do Sul e retomar o controle da Cisplatina.
 
Porém, o Brasil começou a sofrer uma pesada pressão européia. Inglaterra e França estavam preocupadas com a guerra na região e contra o bloqueio naval que o Brasil estabeleceu no Rio da Prata que estava prejudicando o comércio europeu com Montevidéu e Buenos Aires.
 
Em 1827, as tropas imperiais de Dom Pedro I foram derrotadas na Batalha do Passo do Rosário. Mesmo não tendo condições de derrotar a revolta, a guerra durou até 1828, por insistência de Pedro I.
Em 1828, a Inglaterra interveio e forçou o Brasil e a Argentina a assinarem um acordo de paz e reconhecerem a independência da Cisplatina, agora chamada de Uruguai.
 
Com essa enorme derrota, o Brasil entraria num longo e conturbado período cheio de problemas internos e na infraestrutura do governo imperial. Dom Pedro I renunciaria e retornaria para Portugal, deixando seu herdeiro, Dom Pedro II, no trono de imperador do Brasil. Para piorar, os países vizinhos do Brasil começaram a temer possíveis expansões territoriais brasileiras e reforçaram ainda mais suas fronteiras com o Brasil, prejudicando a economia local.
 
Não há curiosidades.
 

Bibliografia: