As Maiores Batalhas e Guerras da História - Guerra Civil Inglesa

 

As Maiores Batalhas e Guerras da História

A Guerra Civil ou Revolução Puritana da Inglaterra

(1642-1649)

Oliver Cromwell lidera o Novo Exército Inglês contra as forças realistas em Naseby.
 
Facções: Realistas (Carlos I) x Puritanos (Oliver Cromwell).

Forças: Desconhecidas.

Perdas: 50.000 realistas, 34.000 puritanos e 127.000 civis mortos e feridos.

Resultado: Vitória Puritana: Execução de Carlos I; Exílio de Carlos II e Estabelecimento da República de Cromwell.

Local: Reino da Inglaterra.
Áreas Vermelhas (Realistas); Áreas Azuis (Puritanos); Setas Vermelhas (Campanhas Realistas); Setas Azuis (Campanhas Puritanas).
 
A Guerra: A ideia de regicídio, o assassinato de um rei, era um pensamento assustador para os europeus no século VII. Mas, foram os ingleses os primeiros a cometerem tal ato durante a longa Guerra Civil Inglesa que assolou o reino numa briga por poder entre o rei Carlos I e o Parlamento (também conhecido como os puritanos).

Entre 1620 até 1630, o rei Carlos I entrou num violento conflito político com o Parlamento. Carlos queria novas taxas e impostos mais altos, mas o Parlamento se recusava a aceitar tais ordens. Carlos, enfurecido, dissolveu o Parlamento e decidiu governar sozinho. Porém, o rei era incapaz de administrar os impostos que ele mesmo estabeleceu e em 1640 restabeleceu o Parlamento. Em 1642, o Parlamento retirou os impostos altos e Carlos I o dissolveu pela segunda vez. Para piorar, o rei tentou prender cinco membros do parlamento, mas tal ato levou o reino a uma violenta e sangrenta guerra civil entre os Cavaleiros (homens leais ao rei) e os Cabeças Redondas (homens leais ao Parlamento).

A guerra teve início em 1642 com a Batalha de Edgehill. O rei quase venceu a luta, mas sua cavalaria perdeu tempo saqueando o acampamento inimigo. Por causa desse erro, a infantaria puritana avançou e aniquilou a cavalaria do rei após uma árdua luta. Edgehill mostrou como é que seria a guerra até a sua conclusão. Os Cavaleiros eram rápidos e letais em aniquilar o inimigo no início das batalhas, mas, por causa da alta disciplina dos Cabeças Redondas, estes conseguiriam virar a luta a seu favoor no final das batalhas. De um modo geral a situação estava crítica para os puritanos até a chegada de Oliver Cromwell. Aí tudo mudou.

 

Oliver Cromwell era um líder nato, mas extremamente severo e fiel seguidor da fé puritana. Era tão fervoroso que proibia até mesmo de seus homens xingarem. Foi responsável pela cavalaria Laterais de Ferro, mais poderosa que a cavalaria do rei. Em 1644, Cromwell venceu o rei na Batalha de Marston Moor, no norte da Inglaterra. O príncipe Rupert do Condado do Reno na Alemanha, navegou com uma força para salvar Carlos I (pois o rei inglês era seu parente). Cromwell e Rupert se encontraram em Naseby em 1645 e os puritanos saíram vencedores da luta. Porém, Carlos I conseguiu escapar para a Escócia.

Alguns meses depois, Carlos I se entregava para o Parlamento. Porém, era tudo uma armadilha. Carlos havia comprado a lealdade dos escoceses que começaram a marchar contra Londres. Cromwell não perdeu tempo e foi direto enfrenta-los na fronteira. Em 1648, Cromwell derrotou os escoceses na Batalha de Dunbar e assim o plano de vingança de Carlos I fracassava. De volta a Londres, Cromwell criou uma corte com mais de 200 homens para julgar o rei. Mas, como a maioria ainda apoiava a monarquia, o julgamento acabou demorando demais. Mas no fim, Cromwell venceu com 59 votos a favor da execução do rei. Em 1649, Carlos I era executado e a guerra civil finalizada.


Não há curiosidades.

Bibliografia: