Fala Kaio ... | The People vs O.J. Simpson

Antes de tudo, conheci a série sem saber que foi um caso real então todas as emoções que tive foram realmente de surpresa... for real enquanto fui assistindo.
A série começa em um nível excelente e os três primeiros episódio são bem focados nos acontecimentos do duplo assassinato. Na missão de deixar a pergunta abaixo no ar, o roteiro dessa primeira metade da série é magistral...
Eae??? O.J. matou ou não matou?

A produção da FX lançada em 2016 me ganhou ao misturar alguns pontos interessantes sobre questões de raça e de gênero em um caso de assassinato envolvendo um grande jogador de Football que alem de tudo é rico.
E por que isso te interessa tanto?

Por que quando um obra audiovisual mostra de maneira tão clara um grande problema de julgamento na sociedade atual, isso me dá uma esperança de que alguem ponha a mão na consciência e tenha um pouco mais de empatia. Grande parte das discussões online entre esquerda-direita desse nosso pais, em algum momento, esbarram nessas questões delicadas (e que não deveriam ser tão delicadas assim)
Mas voltando a obra... Além de um grande tema para se refletir, grandes personagem são esfregados com gostinho de quero mais em nossa cara, Marcia Clark e Johnnie Cochram são os exemplos mor. A primeira, uma mulher, mãe, divorciada e promotora em um ambiente completamente hostil a presença feminina, já o segundo um advogado de defesa, extremamente carismático, conhecedor de cada brecha do sistema, rico e ativista dos direitos negros.
Por terem raros diálogos devido a posições opostas no juri, cada enfrentamento entre cada estratégia para livrar ou acusar O.J. é simplesmente um soco na boca do estomago devido a eloquência e perspicácia dos discursos.
Sarah PaulsonCourtney B. Vance são as grandes estrelas do show...

Resultado de imagem para Sarah Paulson e Courtney B. Vance

Mas como os advogados são as grandes estrelas do show, percebemos então que da segunda metade até o final a produção muda de proposta, saindo de um documentário romantizado para um completo romance jurídico com temas sociais muito mais presentes. Desse momento em diante O.J. fica completamente secundário na narrativa e entra no seu lugar as estratégias da acusação e da defesa.
Analisando a serie como um todo, vejo que faltou algo que eles estavam me prometendo, saber quem matou Nicole e Ron foi o que me prendeu ("sem trocadilhos") e não necessariamente a rotina do maior julgamento do seculo.

Deixo como lição de casa

Sério??? Lição de Casa??

Sim, apesar de não ser da minha parte favorita, convido meus caros leitores a assistirem o episódio 6 e 7, respectivamente "Marcia, Marcia, Marcia" e "Conspiracy Theories", que representam de forma muito clara essa mudança de proposta.
Essas transições de roteiros são comuns e de extrema importância, além de deixar a obra menos linear, são nessas mudanças que os verdadeiros temas são abordados. Se você parar para pensar, as obras que mais vão ficar na sua cabeça são aquelas que dão margem para interpretação, seja ela em qual aspecto for. 


De 0 a 100?

Deixo para essa série 87 vezes em que vimos que o sistema é foda, que vamos respeitar as minas e que a fama e o dinheiro pode comprar até mesmo o maior julgamento justo da terra.