As Maiores Batalhas e Guerras da História - A Batalha e o Cerco de Constantinopla

 

As Maiores Batalhas e Guerras da História

A Batalha e o Cerco de Constantinopla

(717-718 D.C.)

Infantaria árabe avança contra os muros de Constantinopla, ferozmente defendidos por tropas bizantinas.
 
Facções: Califado Umayyad (Príncipe Maslama ibn Abd al-Malik) x Império Bizantino (Imperador Leão III) e Primeiro Império Búlgaro (Imperador Tervel).

Forças: 120.000 árabes e 2.560 navios x número desconhecido de bizantinos e búlgaros.

Perdas: Desconhecidas.

Resultado: Decisiva Vitória Bizantina-Búlgara; Ponto de virada bizantino na Guerra Árabe-Bizantina.

Local: Trácia, Grécia; Bithynia, Turquia; e Mar de Marmara.

Círculo Azul (Império Bizantino); Círculo Marrom (Império Búlgaro); Setas Vermelhas (Avanços Árabes); Seta Marrom (Contra-Ataque Búlgaro); Círculo Preto (Local do Cerco).
 
A Batalha e o Cerco: Após a grandes conquistas que Maomé promoveu pelo Oriente Médio, os mulçumanos se tornaram uma força a ser reconhecida pelo mundo ocidental. Isso teria início quando os árabes começaram a invadir o ortodoxo Império Bizantino.
 
Em 717, Maslama, príncipe do Califado Umayyad (Síria), reuniu 120.000 homens e 2.560 navios para sitiar e tomar Constantinopla, capital do Império Bizantino e portão de entrada para a Europa pelo Oriente.
 
Constaninopla era defendida pelo Imperador Leão III, um habilidoso e inteligente militar. Leão percebeu a ameaça da frota árabe e montou um bloqueio naval no Mar de Marmara. Quando os árabes forçaram o bloqueio, foram facilmente derrotados e forçados a recuar. Com a ameaça naval neutralizada, Leão pôde se concentrar nas forças terrestres árabes que já cercavam a capital bizantina.
 
Maslama rapidamente cercou Constantinopla pelo seu lado oriental e iniciou um longo cerco. Porém, o inverno de 717-718 foi um dos mais rigorosos da história e muitos árabes, despreparados com tal frio, pereceram.
 
Em 718, os árabes conseguiram atravessar o Mar de Marmara e cercaram Constantinopla pelo seu lado ocidental. Mas, Maslama caiu numa horrível armadilha. Leão III havia feito um acordo secreto com o Imperador búlgaro Tervel e este lançou um violento contra-ataque que rapidamente rompeu o cerco árabe da cidade e matou mais de 22.000 árabes em um único dia. Derrotado Maslama iniciou uma árdua retirada para a Siria, ferozmente perseguido pelos bizantinos que agora recuperavam seu território perdido anos atrás.
 

Curiosidades:

  • Foi durante esse cerco que os bizantinos introduziram o chamado fogo "grego" (um tipo de canhão de cerco). Essa arma era usada para afundar navios com mais facilidade usando uma mistura de enxofre e água salgada para incendiar o navio inimigo. As chamas não podiam ser apagadas com água normal, isso só faria o fogo se espalhar com mais facilidade pelo navio atingido.
 

Bibliografia: