Fala Kaio | Stranger Things (2016) Crítica sem Spoilers

GENTES... semana passada a dona Netflix lançou uma série chamada Stranger Things, tá no hype, tá famosa é boa mas se segura ai tem tem algumas pontos que podemos discutir.




Bom senhores e senhoras, para você que não assistiu essa obra fique despreocupado pois não contarei spoilers, vou limitar meus comentários aos fatos apresentados no trailer aqui em baixo e ao primeiro episódio que vou deixar a sinopse.




Sinopse:
Uma declaração de amor aos clássicos sobrenaturais dos anos 80, Stranger Things é a história de um menino que desaparece sem deixar vestígios. Ao procurar por respostas, a família, os amigos e a polícia gradualmente mergulham num mistério envolvendo experimentos ultrassecretos do governo, forças sobrenaturais e uma estranha garotinha.


Essa grandiosa série é basicamente um portfólio de apresentação dos anos 80, grandes clássicos do cinema são referenciados ao longo da trama, tais como E.T. O extraterrestre, Alien: O Oitavo Passageiros, Poltergeist, Goonies, Conta Comigo entre outros . Porém, o que me chamou a atenção, foi que mesmo sendo esse recorte gigante, você não perde o interesse mesmo já tendo visto tudo aquilo. Particularmente, enquanto assistia, ficava muito empolgado por ver algo que referenciava algum filme famoso, e é esse fato que quero entender em conjunto com vocês.

Por que mesmo sendo uma conjunto de referências, Stranger Things não gerou haters como outros filmes e séries que também referenciam grandes clássicos?

Esse é um dos grandes questionamentos que tive, pois estamos no Brasil, o pais da obrigatoriedade de escolha entre amar e odiar eternamente, o pais onde ou você é muito Fã e ninguém pode ser mais fã do que você , ou não existe ninguém que odeie mais.
Filmes como Terminator Genesys, ou Robocop do Padilha são constantemente atacados por possuir cenas parecidas com filmes anteriores ou então somente uma fala igual, e não foi o que eu vi com Stranger Things, TODO MUNDO AMOU ISSO.


Mas bem, deixando essa parte para discussões nos comentários, vamos analisar os quesitos menos sociais e filosóficos da obra. A série é protagonizada basicamente por Mike, Dustin e Lukas e nesse grupo ainda falta o quarto elemento chamado Will, que foi dado desaparecido logo no primeiro episódio. Sobre esse grupo de amigos eu só tenho uma coisa para falar.

QUE EMPOLGAÇÃO PARA JOGAR UM RPG DE MESA, GENTE AQUILO FOI LINDO


A relação entre os quatro garotos é muito bem explicada logo nos 10 primeiros minutos do episódio, onde eles estão sentados no porão jogando um D&D saudável de 10 horas e nesse momento nós conseguimos ver que Lukas é o cauteloso do grupo, Dustin é o impulsivo, Will é o indeciso e Mike faz o papel de chefe de guilda. 




Alguns outros personagens interessantes são o Pai e Mãe do Mike, que retratam aquela típica família americana dos anos 80 em que o pai é a autoridade mesmo não estando muito presente na vida dos filhos e a mãe sendo a presença maior e sempre preocupada com o bem estar de todo mundo, e realçando o clichê ela é uma dona de casa. 
"Ok é um retrato de mulher do anos 80, mas se nesse universo que se passa nessa época existem LED's e portas com cartões e sensores, poderia existir uma mãe um pouco mais moderna não?"

Mas não é exatamente desses personagens que quero comentar, na busca do Will o grupo se depara com uma MENINA, sim a primeiro momento não parece muito, no meio da floresta com roupa de hospital e com a cabeça raspada. O nome dessa personagem é El, "short for Eleven".




Guardem esse nome, 


Millie Bobby Brown


Essa menina tem muito futuro no mundo do cinema e séries de grande porte, o trabalho desenvolvido pelos Irmãos Duffer em conjunto com a garota foi algo memorável. Essa personagem basicamente não fala, mas protagoniza muitas cenas de raiva, medo, tristeza e pavor com maestria. Mesmo sem falar nada, Millie consegue nos transmitir esses sentimentos pois seu talento para expressões é fabuloso.  

E já que comentei sobre os Irmãos Duffer, tenho que dar o crédito a esses dois diretores por trabalharem tão bem o sistema de descoberta do mistério maior, pois em nenhum momento fica fácil demais de entender ou difícil demais para ligar os fatos. E algo que é de se levantar e bater palmas foi que eles conseguiram refilmar todo o espírito dos anos 80 com uma linguagem muito moderna e trabalhando muito bem com musicas e trocas de cenas.



----------------------


"Fala Kaio.. Sua opinião final"

Stranger Things é uma releitura dos anos 80 em uma montagem e direção mais moderna, que se aproveita do fato de ser uma série para utilizar todas as referencias que existem de grandes clássicos. Apesar de não ser uma trama nova, e conter muitos clichês, o carisma dos personagem ganha sua atenção e a sintonia entre os 3 garotos e a Menina mascaram a falta de originalidade no roteiro. Porém, é uma ótima série para quem sente muita saudade do época que foi criança e uma ótima oportunidade para você Novo Fã conhecer como foram os filmes da geração mais aventuresca do cinema.


"De 0 á 100"

De 0 á 100 vou dar 90 pontos para essa série, pois a maneira em que o arco da irmã do Mike acaba é muito boa, o grupo de crianças é muito carismático mas o roteiro poderia ser mais original.