As Maiores Guerras e Batalhas da História | A Guerra Do Peloponeso

As Maiores Guerras e Batalhas da História:

A Guerra do Peloponeso

(431-404 A.C.)

Frota Ateniense e Frota Espartana se enfrentam no Peloponeso
Facções: Liga Délia, Atenas liderando (Péricles) x Liga Peloponesa, Esparta liderando com apoio do Império Persa (Arquidamos II).
Forças: Desconhecidas.
Perdas: Desconhecidas.
Resultado: Vitória da Liga Peloponesa.
Local: Grécia, Ásia Menor (Turquia) e Sicília.
Cruz Cinza (Empate); Cruzes Azuis (Vitórias Atenienses); Cruzes Vermelhas (Vitórias Espartanas); Seta Azul (Expedição Ateniense para a Sicília-Destruída)

A Guerra: Cinquenta anos depois da derrota persa em Salamina, Atenas estabeleceu a Liga Délia. A Liga tinha o objetivo de defender toda a Grécia de qualquer ameaça que o Império Persa ainda possuía. Porém, havia regras para se juntar à Liga. Primeiramente, cada membro da Liga tinha que pagar enormes impostos para Atenas. Isso causou um enorme alvoroço, mas ninguém tinha a força ou a coragem para enfrentar Atenas cara-a-cara.

Isso mudou quando a Ilha de Melos negou pagar os impostos para se tornar membro da Liga e acabou sendo invadida e destruída por Atenas. Várias cidades gregas começaram a questionar as ações de Atenas, mas ninguém se mostrou interessado em enfrentar a potência grega. Mas, em 431 A.C., Esparta, liderada por Arquidamos II, saiu da Liga Délia e criou sua própria Liga: a do Peloponeso.

Nos primeiros dois anos da longa guerra, Esparta obteve várias vitórias em terra contra Atenas. Mas, todas as vitórias navais ficaram nas mãos dos atenienses, liderados por Péricles. Mesmo tendo Atenas cercada por terra pelos espartanos, Péricles pôde continuar seus ataques navais contra Esparta. Porém, uma praga atingiu Atenas e milhares morreram no processo, incluindo o próprio Péricles.

Mesmo após a epidemia e a morte Péricles, Atenas continuou sua campanha contra Esparta e seus aliados. Os atenienses até montaram uma expedição para invadir e ocupar a Ilha da Sicília (que era uma colônia espartana). Mas, quando a expedição alcançou Siracusa, ela foi totalmente destruída pelos espartanos.

Percebendo que Atenas não mostrava nenhum sinal de derrota, Esparta pediu ajuda ao Império Persa na construção de uma frota maior e mais poderosa que as dos atenienses. Os persas construiram a frota e Esparta mudou suas táticas navais. Ao invés de ficar enfrentando a frota ateniense, os espartanos atacavam os comboios de trigo que Atenas necessitava para continuar resistindo ao cerco espartano.

Em 404 A.C., Atenas liderou toda a sua frota para o Estreito de Dardanelos (Turquia) e lá enfrentou metade da frota espartana. Na batalha de Egospótamos, os espartanos finalmente destruíram a invencibilidade ateniense no mar e finalizaram a guerra.

Atenas e Esparta assinaram um acordo de paz e os atenienses foram forçados a derrubar seus altos muros e a destruir toda sua frota de guerra. Com isso, Esparta se tornava a nova cidade dominante da Grécia, mas sobre uma forte influência persa, que ameaçava novamente o território grego.

Não há curiosidades nessa guerra.

Bibliografia: