Conspirações de Garamond | Sandman em Sonho de uma Noite de Verão

Conspirações de Garamond

Queridos sedentos pelo intangível, meus cumprimentos. Antes de dar continuidade a essa ilustre (e oblíqua) publicação, gostaria de me apresentar. Como foi deixado claro anteriormente, sou novo membro e colunista dessa bela rede de informação e cultura chamada Novo Fã. Meu nome é Miguel Santucci e estarei encabeçando uma nova coluna. Sem mais delongas, apresento-lhes minha cria perversa: Conspirações de Garamond! Muito provavelmente você não compreendeu a referência.


(aqui temos o nosso querido Capitão América chateado por não compreender a referência)
 Não fique triste, eu irei explicá-la brevemente. Garamond foi a editora onde Belbo, Diotallevi e Casaubon (personagens centrais do livro "O Pêndulo de Foucault" do grande mestre Umberto Eco) trabalhavam. A trama dessa obra maravilhosa gira em torno de uma teoria da conspiração (batizada de "O Plano")  criada pelos três rapazes apresentados logo atrás e que acaba tomando proporções catastróficas.


(aqui temos o Capitão América que entendeu a referência!)


Meus objetivos não se distanciam tanto dessa ideia. Eu quero que vocês conspirem, pensem, gritem, contorçam seus cérebros ao extremo e desfrutem de cada publicação da imaginária Editora Garamond.

Deixando as apresentações de lado, vamos ao que interessa. Hoje vamos falar de uma das mais belas obras dos quadrinhos, a edição número dezenove de Sandman, "Sonho de Uma noite de Verão".
Neil Gaiman, em toda sua genialidade, nos leva a um passeio entre a literatura fantástica de
William Shakespeare e o querido perpétuo Morfeus.


(Morfeus, o protagonista de uma das maiores obras dos quadrinhos)




Nessa edição, Shakespeare deve um favor (duas encenações, sendo mais específico) ao deus Sonho. Com sua trupe de artistas, o dramaturgo inglês encena sua obra "Sonho de Uma Noite de Verão" (o livro). O mais curioso é que, como convidado, Morfeus traz Oberon, o rei dos elfos, para assistir à apresentação.

Para quem não conhece o livro "Sonho de Uma Noite de Verão", ele trata justamente de Oberon e toda sua trajetória, principalmente relacionada à sua esposa Titania. A edição "Sonho de Uma Noite de Verão" (notem que esse é o quadrinho) é justamente uma referência à obra.




(Titania, Oberon e alguns de seus servos na edição "Sonho de Uma Noite de Verão")



É brilhante a forma com que Gaiman faz com que um protagonista (Oberon, no caso), assista à sua própria história. Em termos bruscos, temos uma metalinguagem shakespeariana. Na edição, é como se Shakespeare tivesse escrito sua obra se baseando naquilo que já existe, o Senhor dos Elfos e seu mundo fantástico. Puck, o emblemático e travesso duende, é retratado de uma maneira maravilhosa.


(um dos trechos mais emblemáticos de Puck logo ao final)


Essa edição rendeu o prestigiado World Fantasy Award, na categoria “Ficção Curta”, a esse grande quadrinista. Essa foi a primeira e única HQ a receber esse prêmio.

Queridos leitores, a genialidade de Neil Gaiman se sustenta. Ele trouxe uma nova perspectiva aos quadrinhos e às referências literárias. Gaiman fez com que HQs deixassem de ser vistas como algo infantil. Essa edição consegue ser incrível em todos os aspectos. Ela traduz Shakespeare de forma inovadora mas sem perder a propriedade literária e intelectual. Se você ainda não leu Sandman, essa edição pode ser lida separadamente (ainda assim, recomendo que leia toda a obra). Garanto-lhe que seu tempo será muito bem gasto nessa leitura.

Caros leitores do Novo Fã, eu estarei com vocês todos os sábados. Espero que vocês tenham gostado e curtido toda essa brainstorming. Desejo estar sempre lhes acrescentando algo e trazendo um pouco de filosofia e elucubração aos seus pensamentos. Eu sou o Miguel e essas são as Conspirações de Garamond.